Arquivo mensais:dezembro 2016

Em despedida, Silveira diz que “deu o o sangue pela gestão”

O prefeito Francisco José Júnior reuniu na tarde desta quinta-feira, 29, sua equipe de auxiliares do primeiro escalão e demais servidores da gestão municipal para prestar contas de seu mandato, que se encerra no próximo sábado, 31.

 

Em sua fala, Francisco José Júnior destacou os avanços alcançados em áreas prioritárias, como saúde, segurança e educação, relembrou os inúmeros desafios que enfrentou sem baixar a cabeça e agradeceu o apoio de todos que colaboraram com o trabalho iniciado há três anos.

 

“Entregaremos o governo com a preocupação de um gestor que deu o sangue por sua gestão”, ressaltou Francisco José Júnior em seu discurso.

 

Confira o discurso na íntegra:

 

“Caros amigos e amigas, permitam-me chamá-los assim, pois esse é o único tratamento que nos define neste momento. Amigos e amigas.

 

É preciso tratar assim a todos vocês que aceitaram e cumpriram esta que pode ser a maior missão de nossas vidas. Nós não somos os únicos no Brasil a enfrentar uma crise nessas proporções. Todos os municípios do Rio Grande do Norte enfrentam esse problema, inclusive Natal que vive uma situação muito parecida com a nossa. A diferença é que, além de ter mais dinheiro, a gestão tem do seu lado toda a mídia e o interesse dos grupos tradicionais.

 

Quem diria que estados como Rio de Janeiro, maior receptor de royalties e turistas do Brasil, vivesse tamanho caos. Minas Gerais, Rio Grande do Sul e até São Paulo que esconde o problema porque tem a Globo à sua disposição.

 

Vocês veem alguma diferença entre a situação do Estado e do município? Para a gestão estadual a crise começou muito antes de nós e só não se agravou mais porque seguramos a barra do governador enquanto pudemos. Não me arrependo disso porque não fiz por ele, mas pela população, principalmente pelas futuras mães que ficaram sem ter onde parir depois do fechamento da APAMIM e das sucessivas crises no Hospital da Mulher.

 

Como disse, nós não somos os únicos no Brasil a enfrentar esse caos vivido todos os dias por falta de recursos e apoio, mas estamos entre os poucos que não têm o apoio da mídia – rádio, televisão, jornais, blogs – que, em todos os lugares, pertencem aos grupos políticos tradicionais, os mesmos que não prepararam suas cidades e seus estados para essa crise grave que enfrentamos agora.

 

De 2014 para cá, quando estourou no Brasil uma grave crise política que acabou com o afastamento da presidente Dilma Rousseff, o País não é o mesmo. O Brasil vinha atravessando um período de calmaria desde o governo Itamar Franco, da criação do Real, da estabilidade econômica iniciada no governo Fernando Henrique Cardoso, no boom de crescimento econômico e social dos governos Lula e Dilma.

 

Sempre houve dificuldades, sempre faltou recursos e sobraram obrigações, mas os prefeitos que vieram antes de mim tiveram sempre a quem recorrer. Cada presidente que entrava tinha como objetivo melhorar o País para que a sua política econômica marcasse a sua passagem. O que vivemos agora é atípico e muito grave. As crises política e econômica – principalmente a crise internacional provocada pela queda no preço do petróleo e de todas as commodities – tem obrigado o governo atual a cortar gastos, despesas e até direitos. E, como sempre, os mais prejudicados são os prefeitos que perdem receitas, serviços e condições de manter funcionando a máquina como deveria e gostaria. Pois é nas cidades onde o povo mora.

 

Não quero assustar ninguém, mas preciso dizer que a situação tende a ficar mais complicada. Não quero com isso torcer contra ninguém, afinal não me preocupam as gestões, mas o que elas fazem com o povo, por isso, é preciso dizer que os próximos anos e enquanto durar essa crise política nacional, os municípios viverão a pão e água.

 

Meus amigos e amigas, repeti diversas vezes que governar é eleger prioridades. Entregarei o governo no dia 1º de janeiro com algumas dificuldades, nada diferente dos meus colegas prefeitos, mas tenho orgulho em dizer que entrego todos os equipamentos e serviços abertos.

 

Preciso que vocês me respondam com sinceridade: Vocês acham que erramos ao abrir a UPA do BH? Que erramos ao aumentar o número de médicos nas outras unidades? Erramos ao abrir as BICs e instalar uma Secretaria de Segurança no município? Erramos em tentar resolver o problema dos ambulantes, de iniciar toda aquela briga para garantir que tenha ônibus de qualidade circulando em nossa cidade? Erramos em evitar que o Nogueirão fosse leiloado fazendo o município perder milhões??

 

Vocês que estavam comigo todos os dias, acham que atrasamos salários porque quisemos? Que os prefeitos de todo o País estão decretando calamidade e atravessando situações piores do que a nossa porque eles querem?

 

Eu sei que vocês sabem que não. Por que amigos e amigas, se eu fosse um gestor tradicional eu poderia ter feito diferente, mas hoje estaria muito infeliz por minhas decisões.

 

É bem provável que as primeiras atitudes do novo governo seja fechar as Bics, diminuir os médicos das UPAs. Talvez até fechar uma UPA. Reduzir ao mínimo os investimentos na Maternidade Almeida Castro, entre outras medidas duras que chamarão de “impopulares” ou, quem sabe, com uma palavra mais bonita, chamarão de “austéras”.

 

É possível que com isso eles economizem mais dinheiro e até usem a mídia – que agora está do lado deles – para dizer que em um ano ou dois conseguirão equilibrar as contas. Mas meus amigos, isso não passará de propaganda.

 

Se os repasses federais não melhorarem, se o município não arrecadar mais e se os royalties do petróleo não voltarem a crescer, eles viverão a mesma crise que nós. Talvez pior. A diferença é que a população terá menos acesso aos serviços essenciais como saúde e segurança. Eles até podem tentar maquiar isso usando a imprensa, mas com as redes sociais não terão como calar o povo.

 

Toda economia é necessária e nós fizemos muitas, vocês são testemunhas que cortamos na própria carne e colocamos em risco todo o nosso governo, mas nenhuma economia pública vale os serviços essenciais. Nenhuma economia vale tirar do pobre o pouco que ele tem. É por isso que enfrentei com vocês toda essa crise para não deixar fechar os equipamentos na esperança que o mês seguinte seria melhor.

 

Porque como disse o filósofo Aristóteles: A esperança é o sonho do homem acordado. E eu pergunto, de que adianta um gestor sem esperança? Durante um breve período nós vimos esse país sair do ostracismo para se tornar um gigante porque “A esperança venceu o medo”.E eu, meus amigos, que sou um homem de extrema fé, não perdi a esperança um só dia e paguei para ver. Foi caro o preço que paguei? O tempo dirá.

 

Não me arrependo de ter tentado e espero que vocês também não. Nós poderíamos ter feito diferente? Claro, sempre é possível fazer diferente, até para quem só acerta. Mas e se tivéssemos as mesmas condições econômica dos nossos antecessores, precisávamos fazer diferente ou teríamos feito uma grande revolução em Mossoró?

 

Quando o próximo governo assumir, não pegará um município com dificuldades, pegará um País com dificuldades. Nós, possivelmente, seremos por algum tempo, a desculpa para eles. Dirão que não fizemos isso ou não fizemos aquilo, mas logo o povo entenderá que essa conversa está furada. Veremos isso pelas redes sociais, não pela imprensa.

 

Se as notícias forem fieis, o próximo governo começará em crise porque pretende começar fazendo arrochos sérios demais para o tipo de estrutura que estão acostumados. E os cortes nos serviços mostrarão a diferença entre a vontade de cuidar do povo e a necessidade – que eles têm – de se manterem no poder.

 

Então, amigos e amigas, o que posso dizer hoje a cada um de vocês, que atravessam essa tempestade e que chegaram até aqui comigo, é MUITO OBRIGADO.

 

Eu sem vocês não seria nada. Se não fosse a confiança, a inteligência e disposição de vocês. Se não fosse a esperança que vocês ajudaram a alimentar junto comigo, eu não teria dado nenhum passo. E posso afirmar ainda, com convicção e consciência tranquila, que se não fosse esta equipe, a situação em Mossoró seria de caos total. Se com dinheiro, grandes empréstimos e apoio da Petrobras eles precisaram pedir socorro aos municípios de Russas, Alexandria e a Natal imagina nesta situação atual.

 

Portanto, amigos e amigas, entregaremos o governo com a preocupação de um gestor que deu o sangue por sua gestão, mas também com a tranquilidade dos que fizeram tudo, talvez mais, do que poderia ser feito.

 

Mossoró cresceu muito através de nossas mãos. Ampliamos os equipamentos de saúde, colocamos ônibus de qualidade para rodar, entregamos centenas de casas, convocamos centenas de novos servidores, ampliamos a estrutura de segurança da cidade, demos uma segunda chance para o esporte local, construímos acessos, melhoramos ruas, criamos o primeiro parque municipal da região e deixamos uma série de ações e projetos para serem executadas no futuro. Cuidamos da Mossoró de hoje, sempre pensando na Mossoró de amanhã. Fizemos isso com nossa equipe, mas também conversando com toda a população através dos nossos Fóruns e projetos sociais como o Meu Bairro Melhor.

 

Depois do primeiro mandato do governo Dix-Huit Rosado, sou o único prefeito que assumiu de fato a Prefeitura. Não deixei meu filho ou minha esposa governarem por mim. Nunca me escondi em Tibau e nunca, dia ou noite, me esquivei de conversar com a imprensa. Sempre estive presente, nos dias bons e nos dias ruins. E nunca, desafio qualquer um aqui a dizer o contrário, tratei mal um colega de trabalho, não importa sua função. Como também nunca fui negativo, nunca disse uma frase pessimista, muito pelo contrário: pedi que mantivessem a fé, que tivessem força e esperança em seus corações. É por isso que, com muito orgulho, sei que se lembrarão de mim também pela humildade e que estarão comigo novamente nos nossos próximos projetos. Porque a luta continua.

 

Muito obrigado a todos e a todas por esta caminhada de luta, força e ensinamentos. Sigamos firmes no propósito de fazer sempre o nosso melhor com convicção, amor e, principalmente, fé e coragem.

 

Desejo a todos e todas não um feliz ano novo, mas uma vida sempre plena de conquistas e sabedoria.

 

Que Deus nos abençoe”.

Francisco José Júnior

Rosalba terá ex-secretário de Fafá na Saúde

O nome de Benjamim Bento foi confirmado para a titularidade da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Mossoró. Com ampla experiência no serviço público, Benjamim é mais um secretário anunciado pela prefeita Rosalba Ciarlini. Novos nomes serão divulgados nesta sexta (30). Ele ocupou a pasta na gestão Fafá Rosado. Também foi secretário de Saúde de Upanema.

Segue o perfil do futuro secretário:

Benjamim Bento de Araújo Neto – graduado em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Pós-graduado em Gestão de Sistemas Locais de Saúde pela Escola de Saúde Pública do Ceará, pós-graduado Saúde da Família pela Escola de Saúde Pública do Ceará, pós-graduado em Obstetrícia pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, pós-graduado em Auditoria de Sistemas de Saúde pela Faculdade de Ciências da Saúde da Paraíba – FACISA  e pós-graduado em Enfermagem do Trabalho pela Faculdade de Enfermagem Nova Esperança – FACENE. Funcionário da Prefeitura de Mossoró desde 1999 e de carreira desde 2007. Exercia o cargo de Diretor de Planejamento da Gerência Executiva da Saúde e a função de Auditor de Saúde da Prefeitura Municipal de Mossoró. Foi também Secretário Municipal de Saúde de Mossoró e de Upanema.

Esquecido por Silveira, jogador Márcio Mossoró visita Rosalba

Esquecido pelo prefeito Silveira Júnior para participar do Revezamento da Tocha Olímpica em Mossoró, o jogador Márcio Mossoró fez uma visita à prefeita eleita Rosalba Ciarlini. Na oportunidade, ele presentou a ex-governadora com uma camisa do Istanbul da Turquia, seu atual time.

 

Márcio Mossoró é, há anos, o principal esportista da cidade, mas não foi lembrado por Silveira para carregar a Tocha Olímpica. Guarda mágoa por isso.

 

O time dele surpreende e lidera o Campeonato Turco, à frente do trio de ferro daquele país: Fenerbahçe, Galataray e Besiktas.

 

 

Futura Procuradora diz ao BLOG DO MAGNOS que medidas de urgência poderão ser ajuizadas no caso da Avenida Rio Branco

A construção de empreendimento comercial em pleno o Corredor Cultural da Avenida Rio Branco deve enfrentar ações judiciais a partir de 2017. É que a futura prefeita Rosalba Ciarlini (PP) deve “brigar” pela área em que o empresário Genivan Josué Batista construiu mais uma de suas lojas.

 

O primeiro sinal dessa disputa já foi dado pela futura Procuradora-Geral do Município de Mossoró, Karina Ferreira. Ela disse ao BLOG DO MAGNOS que medidas de urgência poderão ser ajuizadas no caso da Avenida Rio Branco. “Assim que assumir a PGMM irei me inteirar da situação da Rio Branco, como foi todo o processo, analisar os procedimentos, se foram adequados e dentro da legalidade, posteriormente sentar com equipe da Prefeita para tomarmos as primeiras providências, caso seja necessário, iremos ajuizar medidas de urgências para tentar melhor solução”, adiantou.

 

Depois de vários anos de disputa, o fatiamento de parte do Corredor Cultural de Mossoró foi decidido pela ex-prefeita Cláudia Regina (DEM), em 2013, nos poucos meses que ela ficou à frente do Município. Cláudia fez um acordo obscuro com empresários e que envolve também a empresa A&C. No acordo, que só chegou ao conhecimento público anos depois, foi feita a permuta de um terreno dos empresários para a A&C, em troca de parte da Avenida Rio Branco.

 

O Ministério Público Estadual abriu procedimento para investigar o acordo.

 

Candidata, Izabel vai tentar o apoio de Alex do Frango

Candidata da prefeita eleita Rosalba Ciarlini a presidência da Câmara de Mossoró, a vereadora reeleita Izabel Montenegro (PMDB) afirmou ao BLOG DO MAGNOS que vai buscar o apoio dos seus colegas vereadores para garantir a sua eleição, incluindo de Alex do Frango, que, hoje, é o candidato a presidente de um grupo formado por 12 vereadores. “Em política tudo é possível”, argumentou, ao falar da possibilidade de contar com o apoio de Alex.

 

Izabel disse que vai para mostrar para os colegas que a Câmara precisa de um gestor experiente. “Ocupei várias funções como gestora na Caixa e fui secretária por duas vezes, estou indo para o 3° mandato, isso tudo é importante, agrega valor a qualquer gestão”, exaltou.

 

A candidata garantiu que Rosalba e os demais vereadores do grupo estão ajudando na conquista dos votos necessários.

Sem surpresas, Rosalba anuncia seis nomes do seu secretariado

Sem surpresas, a prefeita eleita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, anunciou nesta terça-feira, dia 27, parte de sua equipe de auxiliares. Ela confirmou que todos os convites já foram feitos e que até amanhã deve estar com o secretariado formado.

Os nomes já confirmados são:

Secretaria da Fazenda –  Abraão Padilha de Brito – graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e licenciado em Letras pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Mestre em Gestão Pública pela UFRN, especialista em Gestão Pública pela Unitoledo/SP, especialista em Direito Tributário de Unisul/SC e especialista em Direito e Cidadania pela UNP/RN. Auditor fiscal do Estado do Rio Grande do Norte. Exerceu os cargos de Subcoordenador de Fiscalização de Mercadoria em Trânsito e Itinerância Fiscal e de Subcoordenador da Substituição Tributária e Comércio Exterior da Secretaria de Tributação do RN. Exerceu o cargo de Coordenador de Tributação e Assessoria Técnica. Foi membro do Comitê de Implementação do Planejamento Estratégico na SET/RN.

 

Consultoria Geral do Município – Anselmo Carvalho – graduado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e em Agronomia pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Professor da UERN desde 2002. Foi Secretário Municipal do Planejamento e da Gestão Financeira e Procurador Geral do Município de Mossoró. No Governo do Estado, exerceu os cargos de Secretário de Estado da Administração e dos Recursos Humanos, Secretário Chefe do Gabinete Civil do Governador do Estado e de Controlador Geral do Estado do Rio Grande do Norte. Atualmente é assessor jurídico da Reitoria da UERN e mestrando em Direito Constitucional pela UFRN.

 

Secretaria de Infraestrutura – Kátia Pinto – Graduada em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Possui experiência de doze anos na iniciativa privada. No serviço público ocupou a função de Diretora Técnica na Secretaria Municipal de Planejamento e Secretária de Desenvolvimento Territorial e Ambiental. Foi Secretária de Infraestrutura do Governo do Estado. Ocupou a presidência da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Rio Grande do Norte (Arsep).

 

Procuradoria Geral do Município – Karina Martha Ferreira de Souza Vasconcelos –  graduada em Direito e em Administração de Empresas pela Universidade Potiguar (UNP). Advogada militante desde 2009, pós-graduada em Direito Civil Imobiliário. Foi membro da Comissão da Mulher e vice-presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB/Mossoró. Trabalhou no Banco Santander, em Natal. Exerceu o cargo de Chefe de Divisão na Corregedoria do Tribunal de Justiça do RN. Atuou como Procuradora Chefe do Município de Mossoró.

 

Secretaria de Segurança – General Eliéser Girão Monteiro Filho – graduado em Ciências Militares da Arma de Infantaria na Academia Militar das Agulhas Negras. Serviu como Aspirante a Oficial e Tenente no 16º BIMtz, em Natal. Foi Adjunto e Chefe da Subchefia da Casa Militar da Presidência da República no Governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso e ocupou, entre 2002 e 2004, o cargo diplomático de Adido de Defesa do Exército junto à Embaixada do Brasil na República da Polônia.  Após passar para reserva, o General exerceu as funções de Secretário de Segurança Pública e da Justiça e Cidadania do Estado de Roraima. Foi também Secretário de Segurança Pùblica e Defesa Social do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

 

Secretaria de Comunicação –  Aglair Abreu – graduada em Comunicação Social com habilitação em jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Foi secretária de Comunicação Social do Município na gestão Rosalba Ciarlini. Ocupou a chefia da Sucursal Oeste da TV Cabugi. Foi diretora de jornalismo da Rádio Difusora. Atuou ainda como repórter da TV Cabugi e TV Tropical, RPC, Rádio Libertadora, Gazeta do Oeste, Diário de Natal, O Mossoroense e Tribuna do Norte. Foi assessora de Rosalba Ciarlini no Senado Federal e posteriormente secretária adjunta de Comunicação do Estado. Recentemente exerceu o cargo de diretora da Agência de Comunicação (AGECOM) da UERN.

Última agenda de Robinson em Mossoró foi improdutiva; o que esperar da próxima?

O governador Robinson está prometendo cumprir agenda em Mossoró de 11 a 13 de janeiro de 2017. Diz que vai até instalar o Governo em nossa cidade. A agenda, se executada, se dará cerca de 10 meses depois da última, realizada em março deste ano.

 

E por falar nisso. A última agenda de Robinson foi totalmente improdutiva. Além de inaugurar uma unidade do Restaurante Popular na Uern, para substituir outra que ele havia fechado na Avenida Alberto Maranhão, o governador fez outras três promessas, sendo que apenas uma se concretizou em 2016. Veja a seguir.

 

Hospital Regional da Mulher

Robinson fincou outdoors da obra, mas a sua licitação só deve ser concluída por volta da metade de 2017. O prazo somente entre os outdoors e a licitação deve ser superior a um ano. A obra em si então…

 

Aeroporto Dix-Sept Rosado

Desde maio de 2015, Robinson promete restaurar o aeroporto de Mossoró e, consequente, retomada de voos comerciais. Embora o governador insista em dizer que a Azul vai operar na cidade, a empresa nega. Pior que isso: o aeroporto continua sem condições de receber o prometido voo.

 

Concurso da Uern

O certame foi realizado com uma quantidade mínima de vagas.

 

Como listado, de três promessas anunciadas por Robinson, duas ainda não concretizaram e uma foi executada bem aquém do esperado.

 

E na agenda de janeiro, o que o governador vem fazer em Mossoró? Renovar essas promessas ou fazer outras? O que esperar da ilustre e difícil presença de Robinson por essas terras?

 

Nome de Rosalba para presidência deve ser definido nesta terça; Izabel e Sandra na disputa

A definição do nome que vai disputar a presidência da Câmara de Mossoró pelo chamado “rosalbismo” deve ocorrer nesta terça-feira (27). Nesta segunda-feira (26), o grupo se reuniu e vai repetir o encontro amanhã, às 10 horas, no Sitio Cantópolis, com a presença da prefeita eleita Rosalba Ciarlini e do seu marido Carlos Augusto.

 

A disputa é entre a vereadora reeleita Izabel Montenegro (PMDB) e a vereadora eleita Sandra Rosado (PSB). A primeira diz ter a preferência da maioria dos seus colegas, que inclui, de momento, Alex Moacir (PMDB), Didi de Arnô (PSB), Francisco Carlos (PP), Maria das Malhas (PSD) e Ricardo de Dodoca (PROS).

 

A escolhida deve enfrentar Alex do Frango (PMB), que tem dito representar um grupo com mais 11 vereadores. No caso, ele já teria os votos necessários.

Cronograma da lentidão do Hospital Regional da Mulher

Em 1° de janeiro de 2015, Robinson assumiu o governo já que o projeto do Hospital Regional da Mulher incluído no RN Sustentável;

Em 10 de março de 2016 (mais de 14 meses depois), Robinson esteve em Mossoró para fincar os outddors da obra do Hospital Regional da Mulher;

Em março de 2017 (um ano depois de fincado os outdoors e dois anos e três meses depois de sua posse), deve ser concluído o processo de licitação.

Com essa “pressa” toda, serão necessários quantos mandatos para conclusão do Hospital Regional da Mulher?

Pressa mesmo Robinson teve para fechar o antigo Hospital da Mulher, aquele que ele encontrou funcionando.

Como diz o ditado popular: Robinson “trocou um passarinho na gaiola por outro voando”.