Vereador perde a cabeça e “bagunça” comemoração na Câmara de Upanema

Captura de Tela (14) (800x450)

Um acontecimento, no mínimo, inesperado ocorreu na manhã desta sexta-feira, 04, na Câmara Municipal de Upanema. O vereador Valério Augusto (PMDB) usou da força para impedir uma comemoração das técnicas de enfermagem da cidade. As profissionais organizaram, com dinheiro do próprio bolso, um café da manhã para agradecer a aprovação de um projeto de lei que incorporou uma gratificação ao salário da categoria. A alteração era uma reivindicação antiga e foi aprovada na Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Luiz Jairo na semana passada.

Valério, que também é ex-prefeito de Upanema e votou contra a aprovação do projeto, virou a mesa montada pelas técnicas com lanches que seriam servidos às profissionais, vereadores, servidores da Câmara e população presente.

As técnicas insistiram e compraram outros lanches, mas, novamente, o vereador saiu do seu gabinete para virar a mesa. Totalmente alterado emocionalmente, Valério discutiu com várias pessoas, inclusive com o presidente da Câmara, Carlinhos Garcia (PMN), sendo contido pela Polícia Militar, que havia sido acionada pela direção da Casa.

Mesmo com a inesperada reação do vereador, as técnicas de enfermagem insistiram no café da manhã, que foi servido em meio à bagunça proporcionada por Valério, que a toda hora dizia que a comemoração não deveria ser realizada.

A técnica de enfermagem Conceição Medeiros disse que estava assustada com a reação do vereador. “Preparamos um café para comemorar algo positivo para a nossa categoria, que esperava pela incorporação da gratificação há quatro anos, e somos recebidas dessa forma, mesmo com o consentimento do presidente e da assessoria jurídica da Câmara. Estou indignada”, declarou.

O vereador Ibinha Costa (PR) comentou que o comportamento de Valério era inaceitável e uma vergonha para a Câmara Municipal. “Esse vereador tem que ser punido, o que ele fez não poder passar impune”, destacou.

Carlinhos Garcia informou que vai fazer um boletim de ocorrência e discutir com os demais vereadores que tipo de punição interna pode ser aplicada a Valério.